6 dicas para você criar um planejamento financeiro pessoal

6 dicas para você criar um planejamento financeiro pessoal

Manter-se longe de dívidas e conseguir cuidar das próprias finanças, poupando e gastando apenas com o que é necessário, é o que todo mundo deseja fazer. Mas a realidade é bem diferente, por isso a importância de se ter um planejamento financeiro pessoal

Com essa organização, o indivíduo consegue ter controle sobre os seus gastos e conhecimento sobre o que está fazendo com as suas finanças. 

É com esse plano, inclusive, que é possível prevenir as dívidas e alcançar metas.

Pensando nisso, neste texto vamos explicar a importância de um planejamento e o que você pode fazer para ter um plano personalizado para as suas necessidades, para ter melhor gerenciamento sobre as suas aplicações. Confira!

Planejamento financeiro: o que é?

Trata-se de uma organização que uma pessoa realiza conforme as suas necessidades e objetivos. Com ele, tem-se a possibilidade de controlar as finanças, de modo que não sejam realizados gastos desnecessários.

Especificamente no Brasil, a educação financeira ainda é um tabu. Muitos brasileiros não falam sobre esses assuntos em casa e muito menos com familiares e, em geral, só se fala sobre o tema quando a corda está no pescoço. 

Por esse motivo o número de endividados no país é altíssimo, segundo um relatório de Economia Bancária feito pelo Banco Central. Cerca de 4,6 milhões de indivíduos no Brasil têm mais dívidas do que podem pagar.

Certamente, se todos tivessem uma organização financeira pessoal, esse número poderia ser zerado. 

Em resumo, o planejamento é um arquivo em que o indivíduo registra tudo o que ele gasta e ganha. 

Assim, fica fácil perceber quando se gasta mais do que ganha, por exemplo, uma vez que é dessa forma que começam as dívidas. 

Além disso, a pessoa também pode observar quais são os gastos que ela faz sem necessidade naquele momento, por exemplo, com a compra de calendário personalizado com fotos.

Por que ter um planejamento?

Já compreendemos que o planejamento é uma medida para evitar que um nome vá para a lista dos endividados. Contudo, esse documento ainda pode ser benéfico para:

  • Redução de gastos;
  • Controle financeiro;
  • Prevenção de dívidas;
  • Auxílio nas tomadas de decisões.

Se você precisar reduzir os gastos e poupar dinheiro, ter organização e um planejamento é um começo. 

Com seus objetivos financeiros definidos, você pode identificar em que você está investindo o seu dinheiro. Muitas pessoas passam por situações de aperto porque não conhecem os seus gastos. 

Com esse documento e todos os registros, o indivíduo observa as necessidades de sua família e como as finanças são desenvolvidas ao longo do mês, e com isso é possível realizar uma redução de gastos que não são tão necessários. 

Somado a isso, vem o controle financeiro. Conhecer as aplicações que são feitas com o dinheiro, permite que se adquira autonomia e conhecimento sobre as finanças que são capazes de trazer estabilidade e segurança para você. 

Além disso, com um planejamento financeiro pessoal, tem-se a possibilidade de viver longe de dívidas, o que é o sonho de muitos brasileiros por aí. 

No entanto, ter um planejamento não significa que o indivíduo nunca mais vai ter uma dívida.

Isso quer dizer que agora, ao fazer a compra parcelada de uma caixa de som para eventos, esse gasto vai ser previsto no orçamento. Na prática, você vai ver as suas finanças e planejar um gasto que cabe no seu bolso, sem que você saia prejudicado.

O que muitas famílias fazem é adquirir várias dívidas ao mesmo tempo, sem observar se tudo isso cabe no orçamento. Ao fazer compras conscientes, uma pessoa consegue estabelecer um limite de gastos e deixar que sobre um dinheiro para emergências. 

Assim, as dívidas são mais conscientes e a família tem um controle financeiro maior, permitindo que eles tenham mais segurança e não passem por sufocos, deixando que coisas essenciais faltem no dia a dia. 

Por fim, todo esse controle permite que você e seus familiares tenham mais conhecimento sobre o orçamento, além de poder tomar melhores decisões. 

Isso quer dizer que na hora de se planejar para uma viagem ou até mesmo pensar em um novo gasto, ele vai saber a realidade orçamentária dela.

No entanto, para que isso aconteça, é necessário que a família siga o planejamento continuamente, afinal, de nada adianta começar e parar no meio do caminho, uma vez que não será possível perceber os efeitos positivos trazidos pela organização financeira. 

Nesse sentido, o planejamento ajuda também em decisões a longo prazo, como a compra de uma casa, por exemplo. Assim, consegue-se ter uma noção sobre as condições da família e se é possível fazer um financiamento, por exemplo.

Saiba como fazer seu planejamento financeiro pessoal

Conheça a seguir quais são os métodos que precisam ser seguidos para se ter um planejamento ideal e de acordo com as necessidades de sua família.

1 – Reúna informações 

Antes de dar qualquer passo no planejamento, é preciso reunir todas as informações sobre o orçamento. Ou seja, extratos, contas, dívidas e gastos com compras mensais e contratação de empresa de motoboys, por exemplo, devem ser colocados juntos. 

Isso é necessário porque é dessa maneira que a família vai conhecer a sua realidade financeira e conseguir observar o melhor jeito de criar o seu planejamento financeiro. 

Assim, o documento é elaborado de forma realista, sem trazer nenhuma surpresa para os indivíduos durante o processo. 

2 – Organize as contas

No fim de tudo, o sucesso do planejamento depende de organização, por isso, essa é uma atividade que vai estar presente durante todo o processo.

Pensando nisso, arrume todos os boletos, desde os essenciais (como água, luz e telefone), até aqueles que são esporádicos, como os parcelamentos.

Nesse momento, você vai ter noção sobre os seus gastos mensais fixos com as contas que são mensais, além de saber por quanto tempo se planejar em relação aos parcelamentos. 

Aqui também devem ser incluídos os gastos como o pagamento do colégio particular dos seus filhos, entre outros. 

3 – Use planilhas

Para que as contas fiquem em dia e ordenadas, é preciso que sejam registrados os valores. Existem muitos formatos de planilhas ou papéis para isso. Aqui, é importante que qualquer despesa seja registrada, para que não se perca o controle. 

Todos os gastos devem ser anotados, inclusive os esporádicos, como a compra de lanches na rua ou uma encadernação capa dura que for feita em um livro. Portanto, independentemente do valor, desde o menor ao maior gasto deve ser anotado. 

Tudo isso permite que se tenha conhecimento da realidade, desse modo, percebe-se que a soma de pequenos gastos, às vezes, pode resultar em um grande valor que prejudica o seu orçamento e você nem percebe. Por isso, você deve sempre anotá-los.

4 – Defina suas metas

Uma das funções de um planejamento é poupar dinheiro para uma meta, que pode ser tanto para um longo período, quanto para de curto prazo. O importante é que se tenha definido o propósito para se ter estímulos e se sentir motivado. 

Fazer economias pode não ser uma tarefa divertida, mas é uma atividade necessária para que famílias consigam se manter e tenham estabilidade em casa. 

Por isso, se uma pessoa deseja realizar a pintura externa do imóvel, é neste momento que deve-se verificar se é algo necessário naquele momento ou não.

Definir as prioridades também ajuda aqueles que realizam investimentos, isso porque com uma meta em mente, uma pessoa consegue estabelecer o período da aplicação e o quanto ela precisa para isso.

5 – Antes de comprar, compare preços

Faz parte do seu planejamento buscar as melhores ofertas, por esse motivo, ao fazer uma nova compra, não importa o que seja, pesquise e se informe para saber sobre as condições mais acessíveis, pois isso ajuda a economizar. 

Mas tome cuidado: não é porque você quer pagar mais barato que precisa comprar produtos que não tenham qualidade, porque no final, pode ser que você tenha que gastar mais com outro item, para conseguir algo bom. 

Por isso, veja se a loja é confiável e também a qualidade do produto. Uma boa dica é pesquisar na internet antes de adquirir, uma vez que nos canais online há bastante informações e muitas pessoas comentando sobre as mercadorias.

Desse modo, se você for adquirir uma instalação elétrica aparente, procure todas as informações sobre o serviço e compre no local que tenha um bom custo-benefício. 

6 – Faça economias

Depois de realizar o planejamento, você pode perceber que talvez o seu estilo de vida não condiz com a sua condição financeira, por isso, é chegado o momento de fazer economias, principalmente, se você tem um objetivo para alcançar. 

Assim, observe seu comportamento e identifique o que você pode excluir ou substituir. Um exemplo é trocar a escola de ensino integral das crianças por uma de meio período. Faça uma leitura dos seus gastos e tire tudo aquilo que não é essencial. 

Conclusão

Um bom planejamento ajuda uma família para que elas tenham maior segurança financeira pessoal e consigam conquistar grandes objetivos, como uma casa própria, por exemplo. 

Com isso, é possível conhecer a realidade financeira e ter uma boa administração das finanças.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

Fechar Menu