Previdência corporativa: veja qual plano escolher!

Previdência corporativa: veja qual plano escolher!

Depois da aprovação da Reforma da Previdência, o número de pessoas que estão buscando a previdência corporativa como opção aumentou muito. Dados da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida) mostram que cerca de 13,3 milhões de brasileiros aplicaram R$ 34,2 bilhões em um plano de previdência privada.

Segundo a Fenaprevi, os valores representam a participação de 6,33% da população brasileira e indicam um crescimento de 35,4% em relação a totalização dos aportes realizados no mesmo período do ano passado. A grande maioria dos aportes, 91,9%, foram feitos em planos VGBL.

O que é previdência privada?

A previdência privada é um investimento focado no longo prazo, o objetivo deste tipo de investimento é juntar dinheiro para a aposentadoria. Basicamente, a intenção dos planos de previdência corporativa é criar uma reserva complementar para aumentar a renda mensal da aposentadoria pública.

Num cenário em que a previdência pública se tornou menos atraente com a nova reforma, que endurece as regras para aposentadoria e diminui os valores do benefício, a previdência privada é uma forma de trazer mais segurança para um período tão importante da vida, a aposentadoria.

Guardar dinheiro em um plano de previdência privada é a melhor alternativa para quem quer se aposentar ou possui outros objetivos de longo prazo, como por exemplo, guardar dinheiro para a faculdade dos filhos.

Aposentadoria pública x previdência privada

A aposentadoria pública do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) concede benefícios de aposentadoria, auxílio-doença, licença-maternidade e pensão por morte ou invalidez. Nesse tipo de aposentadoria, a pessoa precisa contribuir para a previdência social através do trabalho formal.

Assim, cumprindo o tempo de contribuição e atingindo a idade mínima para se aposentar, o contribuinte pode pedir a sua aposentadoria. Depois de um processo burocrático, o cidadão passa a receber o seu benefício de aposentadoria através do INSS.

Fato é que a Reforma da Previdência foi necessária para a reformulação do sistema. Com cada vez menos pessoas trabalhando e um número maior de aposentados, o rombo da previdência social é cada vez maior. Além disso, o avanço da informalidade no país retarda ainda mais a aposentadoria pública, já que muitas pessoas estão se virando em trabalhos informais.

Nesse cenário, a previdência privada se torna ainda mais necessária para o complemento da previdência pública. Para alguns, a previdência privada pode ser a única renda possível sem depender de trabalho no futuro, então quanto antes começar a guardar para a previdência, melhor.

Tipos de planos de previdência privada

Existem dois tipos de planos de previdência privada no mercado nacional. O PGBL e o VGBL, cada um com suas características e vantagens como mostraremos abaixo, confira:

PGBL

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é um plano de previdência privada que se destaca pela possibilidade de dedução de até 12% das contribuições realizadas de sua renda tributável. Esse plano é bastante indicado para quem prefere ou têm de fazer a declaração completa de Imposto de Renda (IR).

Em resumo, a principal vantagem do PGBL é que o investidor pode pagar um valor menor de imposto de renda. Porém, no momento do resgate dos valores do plano, o IR incidirá sobre o valor total, descontando a alíquota tanto nas contribuições como nos rendimentos.

VGBL

O VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) é indicado para pessoas que são isentas de IR ou fazem a declaração simplificada. Assim, esse plano não permite nenhum abatimento no Imposto de Renda. As pessoas que escolhem esse plano têm o desconto padrão de 20% no IR.

Outra característica deste plano é que no VGBL, é que na hora do resgate, apenas os rendimentos são tributados, ou seja, não há cobrança de IR nas contribuições realizadas ao longo do período.

Esse plano também é indicado para quem quer diversificar a carteira de investimentos ou pretende alocar mais de 12% de sua renda bruta em um ativo de previdência privada.

Como escolher um plano de previdência privada?

Depois de apresentar os dois tipos de planos de previdência privada, o que podemos dizer é que ambos são boas opções para quem pensa no futuro. A escolha do plano deve ser feita de acordo com o perfil do investidor e os seus objetivos.

É importante avaliar, por exemplo, qual é o tipo de declaração de IR mais vantajosa para você no presente. Também é importante simular os valores investidos e as possibilidades de resgate. A dica é estudar bastante, conhecer os principais planos de previdência privada antes de escolher.

Busque por informações e conte com ajuda profissional para fazer uma boa escolha. Diante da situação atual da aposentadoria pública e da fragilidade da economia brasileira, guardar dinheiro para uma aposentadoria complementar é uma maneira de preservar o próprio futuro.

Siga acompanhando o mercado, buscando entender as tendências e aposte em ativos que possam lhe render bons frutos para cada um de seus objetivos.

Deixe uma resposta

Fechar Menu