Balanço Patrimonial: o que é e como criar para a sua empresa

Balanço Patrimonial: o que é e como criar para a sua empresa

O balanço patrimonial é uma ferramenta importante de análise para empresas de todos os portes. É com ele que é possível identificar a movimentação financeira da empresa por um determinado período.

Diferentemente de outros tipos de relatórios, o balanço patrimonial visa a identificação da saúde financeira de um estabelecimento. Por conta disso, o balanço patrimonial é um dos documentos mais importantes para a gestão financeira de seu negócio.

Com ele, a identificação da viabilidade econômica do empreendimento torna-se realizável, ou seja, mostra se ele está de fato gerando lucros e se está estabilizado no mercado. 

Por esse motivo, o balanço patrimonial registra todos os movimentos financeiros de uma empresa ao longo de um período, que normalmente é de um ano. É um registro completo, que engloba bens, investimentos e fontes de recurso. 

Essa demonstração contábil é a mais honesta no quesito situação financeira da sua empresa, detectando imediatamente se o momento é de investimentos ou se está na hora de cortar gastos e desacelerar um pouco.

Para que este tipo de relatório possa ser elaborado, é necessário que toda a documentação da empresa esteja perfeitamente em dia.

No caso de uma empresa de detergente, por exemplo, todos os custos com equipamentos, tecnologia, pessoal e gastos fixos devem estar devidamente registrados, bem como os lucros com vendas e outras entradas e saídas financeiras.

Se a documentação não estiver perfeitamente colocada, o relatório pode acabar não apresentando o resultado correto.

No artigo de hoje, saiba mais sobre a definição de balanço patrimonial, para que serve esse documento, sua importância e dicas de como ele deve ser feito.

Afinal, para que serve o balanço patrimonial?

Realizar o balanço patrimonial é encontrar um quadro maior sobre a situação de sua empresa. A análise verifica como seu dinheiro se comporta ao longo do ano, dando a ideia da situação real que o empreendimento encontra-se financeiramente.

Isso é necessário para identificar as necessidades que o negócio realmente apresenta, e dá uma direção de qual caminho deve ser seguido.

Tomar esse tipo de decisão não é fácil, mas o gestor com o relatório em mãos tem a segurança de compreender a situação dos recursos adquiridos pela empresa, de onde eles vêm e para onde estão sendo encaminhados.

Desse modo, é possível se planejar para encontrar o melhor caminho de crescimento possível. 

Alguns tipos de negócio, como as empresas de instalações elétricas prediais, podem usar a análise para identificar momentos de alta procura de seus serviços, identificando quando há necessidade de aumentar sua equipe especializada.

Dessa forma, a empresa mantém sua estrutura estável e consegue criar uma escala de evolução segura para alavancar o crescimento.

Quando você documenta tudo, além de sua própria segurança você garante a qualquer investidor as capacidades de sua empresa.

O balanço torna-se uma ferramenta negocial quando você buscar investimentos, uma vez que o histórico de seu empreendimento estará todo registrado no balanço, demonstrando a capacidade lucrativa e os custos operacionais de seu negócio.

Como o balanço patrimonial pode ser feito?

O balanço patrimonial é composto de três informações: os ativos (circulante e não circulante), passivos e patrimônio líquido. 

Estas informações acabam por registrar toda a movimentação financeira do empreendimento, gerando um relatório de fácil entendimento e completo para a análise necessária. Conheça cada um deles a seguir.

1 – Ativo circulante

O ativo é tudo o que você tem para receber, ou seja, tudo o que você recebe, receberá ou pode transformar em dinheiro.

Pensando nisso, o ativo se divide em duas categorias: o ativo circulante, que é tudo que você consegue transformar em dinheiro vivo ao longo de um ano.

Por exemplo, seu caixa, investimentos em aplicações financeiras, impostos a recuperar e contas a receber de clientes, entre outros modelos. Em resumo, tudo o que facilmente pode se transformar em capital.

2 – Ativo não circulante

A outra etapa é o ativo não circulante, que é tudo o que não se transforma em capital direto no prazo de um ano. 

Isso inclui bens materiais e não-materiais, como prédios, maquinário, veículos e outros equipamentos, bem como a participação em outras empresas e investimentos a longo prazo.

Tome, como exemplo, uma empresa que trabalha com produtos de higiene pessoal atacado, cujo ativo circulante seria seu lucro com a venda de produtos, contas a receber de revendedores que fazem grandes compras, entre outros.

Já no ativo não circulante entraria o espaço físico onde é armazenado o estoque, equipamentos e máquinas necessárias para a operação e os veículos utilizados para o transporte do produto.

3 – Passivo

O passivo, por sua vez, é responsável por todos os dividendos da empresa.

Esta etapa também é dividida em duas partes, com o passivo circulante registrando tudo que deve ser pago no período de um ano, como fornecedores, empréstimos bancários e obrigações trabalhistas.

Há também o passivo não circulante, que se encarrega de pagamentos que podem ser feitos depois de um ano, como um plano de incentivo a longo prazo ou tributos que tiveram sua exigibilidade suspendida por um período.

Uma empresa de aluguel de ônibus para passeio escolar pode considerar como passivo circulante os custos de manutenção, combustível e pagamento de funcionários, enquanto conta com um valor provisionado para eventuais riscos como passivo não circulante.

4 – Patrimônio líquido

Por fim, o patrimônio líquido é um cálculo que deve ser feito levando em conta todos os valores que pertencem a acionistas da empresa, como por exemplo, o capital social, suas reservas, prejuízos acumulados, entre outros elementos.

É no patrimônio líquido que encontramos as respostas buscadas nos relatórios. Se os ativos superarem os passivos, o patrimônio líquido corresponderá ao valor a ser dividido entre os sócios.

Ao longo dos anos, o crescimento de sua empresa pode aumentar ou se estabilizar.

A importância de manter seus registros através do balanço patrimonial é que, conforme o tempo passa, você conseguirá comparar os balanços ao longo dos anos.

Identificando, assim, de forma simples e rápida, qualquer situação que possa ser prejudicial para o negócio e tomar as decisões necessárias para reverter.

Se você trabalha com alimentação, por exemplo, talvez seja hora de aumentar sua equipe, buscando um serviço de garçom de buffet para ampliar suas capacidades e conseguir aumentar sua clientela.

A importância de montar o balanço patrimonial

Do ponto de vista contábil, o balanço patrimonial é possivelmente o relatório mais importante que sua empresa terá.

Muitas pessoas comparam o relatório como uma foto interna de sua empresa, feita em um período específico e que permite uma análise completa da situação em que o empreendimento está.

O balanço é um registro específico da realidade financeira que o negócio vive no período analisado.

Inclusive, com o balanço patrimonial é possível ter informações essenciais a respeito do andamento do seu negócio e possui características como:

  • É um relatório reduzido, de simples compreensão e entendimento;
  • Facilidade em analisar a situação da empresa;
  • Praticidade em tomar decisões importantes;
  • Ajuda a medir a saúde financeira da empresa.

Uma empresa que trabalha com confecção de produtos pode decidir quando é o momento certo de iniciar a produção de pasta com bolsa interna de um material específico, ao analisar a relação entre custo e lucro do produto observando o relatório, por exemplo.

O balanço patrimonial também é obrigatório por Lei, mas os benefícios dele acabam tornando-o muito mais necessário do que a necessidade de obrigatoriedade de se fazer esse relatório.

Apenas pequenos empresários e empresários rurais com receita bruta abaixo de 36 mil ao ano são isentos de fazer o relatório, de acordo com o Art. 970 do Código Civil. 

Mesmo que você se enquadre nessas categorias, é interessante montar o balanço patrimonial para conseguir compreender a situação financeira de seu empreendimento e como você pode alavancá-lo. 

Uma empresa de tecnologia da informação, ainda que conte apenas com o empresário como desenvolvedor, pode saber se seu software restaurante por quilo está se mantendo estável e de forma saudável no mercado, e onde deve-se investir para ampliar seu capital.

A opção de encontrar ajuda profissional é sempre válida, e talvez você possa pedir a um contador para realizar o balanço patrimonial de sua empresa.

Uma vez que estes profissionais estão acostumados a lidar com os termos e números necessários para a montagem do relatório.

Isso dará mais tempo ao gestor para se preocupar com a análise de dados e tomada de decisões necessárias tendo como base o balanço completo.

É a utilização de ferramentas contábeis que permite a análise de dados, visando a melhoria do negócio como um todo, além de controlar os dividendos e compreender a origem dos lucros.

Um estabelecimento com diversas opções de produtos, como um negócio de brindes personalizados, pode ter muito mais retorno com uma agenda personalizada logo do que com produtos descartáveis.

Dessa forma, é possível optar por aumentar a demanda no produto com mais saída, por exemplo.

Pensando nisso, o balanço patrimonial torna-se mais do que uma ferramenta, alcançando o status de aliado do gestor em um ambiente negocial.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Fonte: Código Cívil – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10406.htm

Deixe uma resposta

Fechar Menu