[ATUALIZADO] Conheça 33 movimentos que ajudam os pequenos negócios nesta crise do Coronavírus

[ATUALIZADO] Conheça 33 movimentos que ajudam os pequenos negócios nesta crise do Coronavírus

Os impactos econômicos causados em função do Coronavírus já são mais do que notáveis. Com o isolamento social, inúmeros estabelecimentos precisaram fechar suas portas e suspender boa parte de suas atividades. Isso acabou gerando um impacto muito grande em boa parte dos pequenos negócios e dos negócios locais.

Confira o artigo que fizemos com dicas para a gestão de pequenos negócios para os momentos de crise.

Apesar de serem pequenos, quando analisamos todos eles em conjunto, vemos a importância que eles representam para a Economia. De acordo com o SEBRAE, os pequenos negócios representam 27% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Mais do que isso, estes negócios empregam 52% da mão de obra formal do país e respondem por 40% da massa salarial brasileira.

Para você entender o grau do impacto deste momento atual nestes negócios, o SEBRAE fez um levantamento mostrando que 89% das micro e pequenas empresas já observam uma queda no faturamento e 36% dos empreendedores precisarão fechar o negócio permanentemente, em 1 mês, caso as restrições adotadas durem muito tempo.

Visto a importância destes negócios e os impactos que eles estão sofrendo, surge a importância de os valorizarmos. Pensando nisso, listamos abaixo algumas iniciativas que foram criadas:

O Contagiante.me foi criado no dia 15 de março de 2020, pela Fair&Sale, hub de negócios criativos, gastronomia e cultura, para apoiar pequenos negócios afetados pela crise causada pelo Coronavírus. São divulgados pequenos negócios, seus produtos e como comprar, além de conteúdos.

O movimento #cotovelosdados foi criado pela mentora e consultora em empreendedorismo consciente, Elisangela Baptista, como uma comunidade que visa fomentar os pequenos e médios negócios da Região Metropolitana de Campinas.

O movimento foi criado pelo portal Campinas.com.br com o intuito de incentivar a compra de produtos e serviços do pequeno negócio, localmente, para distribuição do dinheiro de forma mais igualitária neste período de crise. O movimento junto os conceitos do #CompredoPequenoNegócio, do Sebrae, e do #CompreNoSeuBairro. O alvo são os pequenos negócios da cidade de Campinas/SP.

A iniciativa foi desenvolvida pela Cora, um fintech que oferece conta digital para empresas. No portal Compre dos Pequenos, as empresas se cadastram e vendem seus voucher, que poderão ser utilizados em compras futuras por parte de quem adquirí-los. Não é cobrada nenhuma taxa, e o valor do voucher é repassado de forma integral para a empresa.

Trata-se de uma plataforma onde os pequenos negócios cadastram seus produtos e serviços, para que as pessoas interessadas entrem em contato para comprá-los.

Trata-se de uma iniciativa da empresa Todos Cartões, que oferece gifts cards, listas de presentes e cartões corporativos. No portal Todos Presentes, os pequenos negócios se cadastram para vender cartões presentes para serem usados em seus estabelecimentos.

Trata-se de uma iniciativa da Heineken, na qual bares e restaurantes se cadastram. Os clientes adquirem voucher para serem usados futuramente nestes estabelecimentos, quando estiverem reabertos. O grupo Heineken irá repassar uma contribuição ao bar/restaurante no mesmo valor do voucher adquirido.

Resultado: foram mais de 7.500 bares cadastrados e mais de 100.000 contribuições.

A iniciativa foi desenvolvida pela Stella Artois e alguns parceiros na qual bares e restaurantes se cadastram e vendem voucher para serem usados quando estiverem reabertos. O crédito deste voucher terá o dobro do valor para ser utilizado, em função dos recursos que a Stella Airtois está destinando para os estabelecimentos. A Nestlé e a Nespresso se juntaram ao movimento e passaram a aceitar o cadastro de cafeterias e confeitarias.

A Bohemia criou esta iniciativa no qual bares e butecos de cadastram para que as pessoas possam comprar voucher para serem utilizados quando estes reabriem. A Bohemia está oferecendo vouchers de R$ 25, R$ 50 e R$ 100, que podem ser adquiridos com 20% de desconto. Além disso, a empresa também criou um fundo de apoio para os bares e butecos cadastrados.

Resultado: a iniciativa foi encerrada no dia 17/05. Foram mais de R$ 4 milhões de reais arrecadados, 42.695 voucher vendidos e 11.497 estabelecimentos cadastrados.

A Fintech Ebanx criou uma plataforma para que os negócios criem suas lojas online e comecem a vender.

A Magazine Luiza criou a plataforma Parceiro Magalu para que pequenos negócios cadastrem seus estoques de produtos no site e no aplicativo da gigante varejista. Há também uma solução para pessoas físicas que quiserem receber comissões por vendas realizadas.

O EuApoio é uma iniciativa da fintechs Nexoos. A plataforma possibilita a criação de uma loja virtual, sem custos.

A Quem Disse Berenice criou uma perfil no Instagram (@ApoieUmMaquiador) que funciona como um portfólio virtual de maquiadores autônomos de todo o Brasil e convida as pessoas a comprarem voucher para serem usados futuramente com os maquiadores. A empresa também pagará 600 serviços de maquiagens dos maquiadores autônomos cadastrados, no valor de R$ 120 cada.

A L’oréal, em parceria com a Stone e com a Trinks criou este movimento para colaborar com salões de beleza. Os consumidores que comprarem um voucher de R$ 50 para ser utilizado futuramente no salão escolhido receberão também R$ 50 de desconto em produtos na loja segredos de salão.

A fintech Mutual criou uma iniciativa que possibilita a obtenção de crédito com juros social para pequenos empreendedores impactados nesta pandemia. O crédito é de R$ 1.000, com juros social de 1% ao mês, e parcelamento em 9 vezes, sendo que o primeiro pagamento começa só daqui três meses. Os recursos são provenientes de pessoas que investirem a partir de R$ 100, com um retorno simbólico.

A Americanas está oferecendo gratuitamente sua plataforma para que pequenos negócios se cadastrem e tenham seus produtos divulgados, e, possibilitando que as vendas sejam entregues no mesmo dia para clientes da mesma vizinhança. A comissão é de 16%, cobrada sobre as vendas.

Trata-se de uma iniciativa das fintechs Neon e MEI Fácil. Há um painel no qual pequenos negócios podem se cadastrar para serem divulgados para milhares de pessoas.

A empresa criou três medidas para auxiliar os seus stakeholders. A primeira delas é a criação de um fundo de assistência para os restaurantes de R$ 50 milhões. A segunda medida é a antecipação do repasse do pagamento aos restaurantes, agora com prazo de 7 dias após a venda. E a terceira medida é a devolução de todo valor cobrado em taxa para os pedidos para retirada no local. Além destas medidas para os restaurantes, também foram criadas medidas para os entregadores.

A Uber, por meio do Uber Eats, também criou medidas para auxiliar os restaurantes cadastrados. Os repasses dos pagamentos são repassados diariamente, além da criação de um catálogo que passa a mostrar, além dos restaurantes, outros estabelecimentos, como farmácias, lojas de conveniência e pet shop. A Uber também criou medidas de apoio aos motoristas e entregadores.

A plataforma Kmaleon, que funciona como um buscador de softwares para empresas, criou este movimento no qual Pequenas e Médias Empresas podem se cadastrar e receber melhores condições na contratação de softwares, além de receber dicas e conteúdos gratuitos.

A Stone e a Collact se uniram para criar uma plataforma para que pequenos negócios se cadastrem e os consumidores pesquisem por localização quais estabelecimentos fazem parte do movimento

A plataforma de gestão financeira Omie criou uma versão gratuita do seu sistema destinado aos pequenos negócios (faturamento anual de até R$ 180.000). Além do controle financeiro, é possível emitir notas fiscais, gerar boletos, e antecipar recebíveis por conta da parceria que a Omie tem com a fintech Weel.

A Fisher Venture Builder criou esta plataforma que ajuda pequenas e médias empresas a encontrarem soluções para superar este momento de crise.

A KPMG está oferecendo mentoria gratuita para pequenas e médias empresas para tirar dúvidas nas áreas fiscal e trabalhista.

Trata-se de uma iniciativa do Hurb para apoiar o setor hoteleiro. No portal, hotéis de cadastram e as pessoas podem fazer reservas antecipadas para diferentes localidades com desconto de 50%.

A Conube criou uma página no qual são reunidas as principais dúvidas sobre os impactos do Coronavírus no dia a dia das empresas.

Trata-se de uma iniciativa da plataforma Oslo na qual são reunidas as medias financeiras anunciadas pelos bancos e pelos governos devido à pandemia do covid-19.

Trata-se de um grupo formado por cidadãos, empresários, executivos e organizações do 3º setor que reconhecem na sociedade civil a responsabilidade e o papel fundamental em agir para solucionar os desafios que o país enfrenta neste momento. Pequenos negócios podem conseguir empréstimos com excelente condições, e, como pré-requisito, precisam passar por uma capacitação. E qualquer um pode fazer doações em prol dos empreendedores.

A CapTable MVP é uma plataforma da CapTable que faz a intermediação entre empreendedores com projetos em fase inicial e apoiadores.

O Pão de Açúcar criou esta iniciativa para valorizar as microcervejarias. Além de oferecer novos rótulos, todos estão sendo vendidos nas lojas e pelo site com 25% de desconto. São mais de 60 rótulos que estarão em promoção até o dia 15/07.

Trata-se de uma iniciativa realizada pelo Grupo Mulheres do Brasil, pela Rede Mulher Empreendedora e pelo Banco Pérola. Dona de mim é um fundo de crédito idealizado por mulheres com o objetivo único de impulsionar microempreendedoras individuais (MEI) especialmente impactadas pela crise econômica e social provocada pela pandemia da Covid-19. O microcrédito é exclusivo para mulheres empreendedoras individuais.

A iniciativa foi criada com apoio das marcas Delícia, Primor, Soya, Salsaretti e Salada. Ela consiste no cadastro de restaurantes, que vendem voucher de um prato com desconto, por meio da plataforma. Todo faturamento fica com o estabelecimento e para cada voucher vendido será doada uma refeição para pessoas em situação de vulnerabilidade social, por meio de parcerias sociais.

O +Livros é um fundo de incentivo para autores, editoras e livrarias independentes. Os recursos são arrecadados por meio de uma campanha de financiamento coletivo no Catarse.

Deixe uma resposta

Fechar Menu